Você está usando um navegador desatualizado. Mude para um navegador mais moderno, como Chrome, Firefox ou Microsoft Edge. (Abrir no Edge)

expats-laptop

 

Como se tornar um nômade digital

21 de Janeiro de 2021

 

Mas, atenção: a vida de nômade digital não é fácil. Vale lembrar que, para cada foto de um cara trabalhando à beira da piscina, há muitos momentos de frustração com a tecnologia, e horas em que as condições de trabalho não são tão glamorosas assim. 
No começo, “nômade digital” era o nome dado a quem tinha o próprio negócio e escolhia trabalhar no exterior de maneira remota. Agora, o termo é usado para descreve vários profissionais com trabalhos independentes do local onde vivem, e que geralmente escolhem lugares com baixo custo de vida como sua morada. Pessoas que trabalham terceirizadas independentemente da localização ou na chamada economia gig também podem se considerar nômades digitais. O que todas têm em comum é o fato de trabalhar por períodos prolongados fora de seu país de origem. 

Se você está pensando em trabalhar e mora no exterior, veja essa dicas:

Identifique suas habilidades

Para começar, o especialista Chris the Freelancer recomenda que você identifique suas habilidades. Encontre um ponto comum entre três coisas:

 

i) O que que você adora fazer

ii) O que você faz bem

iii) O que pagariam você para fazer

  • Quais habilidades são naturais para você?
  • Para qual tipo de assunto as pessoas procuram sua opinião?
  • Quais são seus pontos fortes?
  • Se você pudesse voltar para a faculdade e estudar outra coisa, o que seria?
  • Que tipo de resultado deixa você mais feliz?

Nesse exercício de autodescoberta, se você encontrou uma habilidade que pode ser usada em um trabalho em qualquer lugar do mundo, perfeito!  Se não foi o caso, não se preocupe.  Há várias categorias de empregos mais comuns para funcionários remotos, incluindo:

  • Desenvolvimento web e de aplicativos
  • Consultoria on-line de negócios
  • Vendas e marketing
  • Consultoria de redes sociais
  • Ensino e educação on-line
  • Assistente virtual

Cada uma dessas áreas podem ser divididas em uma série de subseções ou especialidades que você pode usar enquanto trabalha e viaja por aí. 

Após identificar uma área em que você pode trabalhar, o site Location Indie recomenda desenvolver seu conhecimento. Se você tem formação em uma área, isso já ajuda. Mas se estiver começando do zero, planeje tempo suficiente para melhorar suas habilidades e ganhar experiência antes de se mudar para o exterior. Se você quiser aprender habilidades digitais, vai encontrar uma série de recursos on-line, incluindo:

 

Ganhe experiência. O Hobo with a Laptop trabalhou como freelancer em casa antes de tomar a decisão de se mudar para o exterior.  Se você escolheu apostar em uma habilidade digital, como desenvolvimento web, se ofereça para criar um site como voluntário em seu país de origem e aproveite para colocar o conhecimento em prática.

Pode ser que demore mais que o esperado para obter experiência suficiente e um portfólio completo para ter um fluxo constante de trabalho quando você estiver no exterior.  

Essa é uma etapa crucial que muitos nômades digitais tendem a deixar de lado. Se você não se promover, é improvável que consiga um fluxo de trabalho suficiente para se sustentar lá fora. O site Digital Nomad Europe sugere uma série de táticas para promover quem você é e o trabalho que você faz:
Não precisa ser caro, mas um site criado com cuidado vai render mais clientes. Garanta que o website seja otimizado para mecanismos de busca e que tenha um blog. 
Faça uma lista com as perguntas mais comuns do seu mercado-alvo, e escreva respostas detalhadas para elas. Então, pense em como você pode ajudar seu mercado-alvo a realizar essas atividades, e escreva artigos com dicas de ajuda.
Apesar de a publicidade ser paga nas redes sociais, vale a pena investir uma pequena quantia para que sua marca fique conhecida. A vantagem de pagar por publicidade digital é que você controla quem vê seus anúncios. Você pode se concentrar em uma faixa etária ou localização específica, ou um certo cargo. 

Promova seu trabalho ao fazer uma postagem como convidado em um site relacionado a um serviço fornecido por você. Por exemplo, se você quer trabalhar como desenvolvedor web especializado em hospitalidade, entre em contato com sites desse setor em vários países e ofereça um artigo bem escrito e baseado em uma boa pesquisa que eles possam usar no sites deles, e com um link para a sua empresa.

Não se esqueça de incluir uma call to action ao final do artigo, como “você tem alguma pergunta sobre como recriar o seu site? Entre em contato hoje mesmo” e inclua suas informações de contato. 

Quando você se sentir confortável com a maneira como vai se sustentar no exterior, pode se concentrar na parte divertida. Escolher um destino é uma das etapas mais emocionantes de se tornar um nômade digital, mas há muito a se considerar. O site One Bag Nomad diz que é importante pensar em:

Custo de vida: faça uma pesquisa cuidadosa. Planeje um orçamento e liste seus destinos preferidos de acordo com essa projeção financeira. E cuidado: o custo de vida que já foi baixo em destinos de nômades digitais como Chiang Mai pode aumentar à medida que mais funcionários remotos se mudam para esses lugares para trabalhar (artigo em inglês) .

Acesso à Internet: não subestime a importância de saber que você terá acesso a Internet rápida e confiável. Isso é fundamental para poder ganhar dinheiro no exterior, então faça uma boa pesquisa sobre o assunto. Se você estiver interessado em trabalhar em um local específico, peça às suas opções de acomodação para que testem a velocidade do Wi-Fi antes de você viajar.

Acomodação: à medida que a combinação trabalho e viagem de longo prazo se torna mais comum, o custo e a disponibilidade de acomodações estão aumentando em alguns destinos. Participe de uma comunidade on-line de nômades digitais e peça dicas de acomodação para quem já estiver morando e trabalhando no destino dos seus sonhos.

Espaço de coworking: apesar de os nômades digitais preferirem trabalhar em espaços públicos como hotéis e cafés, o conceito de coworking está se desenvolvendo, e mais espaços estão sendo criados em cidades populosas. Eles funcionam como comunidades de pessoas que têm muita coisa em comum e compartilham um local de trabalho. O custo de se trabalhar em um espaço como esse depende de fatores como:

  • Instalações
  • Local
  • Duração da estadia
Esse item veio por último, mas é tão ou mais importante quanto os outros. Vários destinos escolhidos pelos nômades digitais não contam com a infraestrutura de atendimento médico como a que você está acostumado a usar em seu país de origem. Ficar doente enquanto se trabalha no exterior pode ser uma experiência assustadora e solitária (artigo em inglês). Com uma apólice de seguro-saúde internacional, você terá acesso ao melhor atendimento médico disponível, em qualquer lugar do mundo.