Você está usando um navegador desatualizado. Mude para um navegador mais moderno, como Chrome, Firefox ou Microsoft Edge. (Abrir no Edge)

Vaccine


Vacinas contra a COVID-19 -  Respostas para suas perguntas 

11 de fevereiro de 2021

 

Com a onda inicial das vacinas contra a COVID-19 no mundo todo, há uma enxurrada de informações e dúvidas, mas selecionamos as mais importantes para você. Veja o que sabemos até agora.

Como os estoques iniciais da vacina são limitados, a distribuição será feita em fases, e as pessoas de grupos prioritários e de alto risco estão no começo da fila. Profissionais de saúde que lutam contra a pandemia na linha de frente, residentes de asilos e outras instituições de cuidado de longo prazo e idosos com mais de 80 anos serão os primeiros a receber a vacina.

Os estoques devem aumentar com o tempo, e todos os adultos devem ser vacinados ao longo de 2021.  Entre em contato com seu médico para saber mais sobre os grupos que estão sendo priorizados na sua região, e quando você deve receber a primeira dose. 

A maioria das vacinas contra a Covid-19 precisam de duas doses para terem efeito; apenas uma das vacinas, que agora está na reta final dos testes, requer uma única dose.

Você precisa receber as duas doses para se proteger melhor contra a Covid-19. A primeira dose ajuda o organismo a reconhecer o vírus e prepara o seu sistema imunológico, enquanto a segunda dose, aplicada três ou quatro semanas depois (dependendo da marca), fortalece a resposta imune. Assim, seu organismo fica mais preparado para lutar contra a infecção.

Como acontece com todas as vacinas, seu corpo precisa de tempo para desenvolver imunidade; você só estará protegido contra a COVID-19 cerca de uma a duas semanas depois da segunda dose.

As vacinas contra a COVID-19 têm sido aprovadas pelos mesmos processos rigorosos de testes e segurança usados para outras vacinas. Para a grande maioria das pessoas, a vacina contra a COVID-19 é segura. No entanto, existem grupos que precisam levar outros fatores em conta ao decidir se devem ser vacinados ou não.  Isto inclui:
  • Pessoas que sofrem de alergias
  • Mulheres grávidas ou que estejam amamentando
  • Pessoas que já testaram positivo para a COVID-19
  • Pessoas com doenças subjacentes
  • Crianças e adolescentes

Converse com seu médico em caso de preocupação, e veja se você deve receber a vacina.
Não. Assim como é possível ter reações alérgicas a medicamentos, as pessoas também podem apresentar uma reação alérgica às vacinas contra a COVID-19. Em casos raros, algumas pessoas podem apresentar reações alérgicas que vão de moderadas a fortes depois de receber a vacina. Então, não se esqueça de conversar com seu médico se você já teve reações alérgicas antes.

Você pode sofrer alguns efeitos colaterais depois de receber uma ou as duas doses de uma vacina contra a COVID-19, e isso é totalmente normal. Embora esses efeitos possam incomodar, eles são geralmente moderados e temporários, e não são nada se comparados ao que você pode sofrer caso contraia a COVID-19. Além disso, muitas vezes as reações são um sinal de que seu organismo está reagindo à vacina.

Os efeitos colaterais para a vacina contra a COVID-19 podem variar de acordo com a sua idade, marca da vacina e se é a primeira ou a segunda dose.  É possível sofrer um ou mais dos efeitos colaterais a seguir:

  • Dor, vermelhidão ou inchaço do local onde a vacina foi aplicada
  • Fadiga
  • Dor de cabeça
  • Dor muscular
  • Dor nas juntas
  • Calafrios
  • Febre
  • Nódulos linfáticos inchados no lado do corpo em que você recebeu a vacina

Esses possíveis efeitos colaterais geralmente se apresentam dentro de três dias depois de receber a vacina, e devem durar apenas alguns dias. No entanto, nem todo mundo que é vacinado apresenta efeitos colaterais.  

Se você já teve COVID-19, provavelmente desenvolveu alguma forma de imunidade à doença depois que se recuperou. No entanto, os especialistas médicos e de saúde pública ainda não chegaram a um consenso sobre a duração dessa imunidade natural.

Já está estabelecido que é possível ser infectado mais de uma vez, e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos recomenda que a pessoa receba a vacina mesmo se já tiver apresentado a doença. 

Essa é provavelmente uma das questões mais importantes que os cientistas ainda estão pesquisando. Embora as vacinas protejam a pessoa vacinada contra a doença, eles ainda não sabem se podem impedir que a pessoa espalhe o vírus para outras.

Nenhuma das vacinas testadas até agora são 100% eficazes; assim, é possível que algumas pessoas vacinadas ainda contraiam o coronavírus. E, apesar da vacina não contaminar a pessoa com COVID-19, ainda é possível pegar ou espalhar o vírus para outras pessoas depois de receber as doses. 

Seu organismo precisa de tempo para desenvolver uma proteção após a vacinação. E embora a vacina diminua as chances de ficar gravemente doente ou morrer de COVID-19, os pesquisadores ainda estão estudando se as pessoas vacinadas estão protegidas contra pegar ou espalhar o vírus no futuro, mesmo que não se sintam doentes.

É importante lembrar que você ainda precisa usar uma máscara e tomar outras precauções depois de receber a vacina. Mesmo após a segunda dose, você não estará 100% imune à possibilidade de contrair ou espalhar a COVID-19 para outras pessoas. Assim, até que uma porção maior da população seja vacinada, todos devemos nos esforçar ao máximo para proteger os outros e nós mesmos.

Ainda não há provas de que as vacinas não sejam eficazes contra as novas variantes. É normal que os vírus se transformem e passem por mutações com o tempo, e já foram identificadas algumas variantes do SARS-CoV-2, que causa a Covid-19. No entanto, assim como outras perguntas sobre a doença ainda à espera de uma resposta, com mais tempo e mais dados os cientistas devem ter uma posição mais clara sobre essa questão.
Atualmente ainda não existe uma resposta. As vacinas contra a COVID-19 ainda são novas, e os especialistas médicos e de saúde pública ainda não sabem por quanto tempo as pessoas vacinadas estarão protegidas.
Enquanto espera pela vacina contra o coronavírus, há várias medidas preventivas que você pode tomar para ficar saudável e não só lutar contra a infecção, mas também prevenir os problemas de saúde mental que aumentam muito nessa época de incerteza e estresse. Ter uma boa alimentação, dormir o suficiente, fazer exercícios regularmente e tentar administrar o estresse podem estimular o seu sistema imunológico e aumentar suas chances de permanecer saudável. 
A missão da Allianz Care é manter você bem de saúde e bem informado durante a pandemia da COVID-19.