Você está usando um navegador desatualizado. Mude para um navegador mais moderno, como Chrome, Firefox ou Microsoft Edge. (Abrir no Edge)

Face covering

 

Preciso continuar usando a máscara depois de tomar a vacina? 

01 de Março de 2021

 

Mesmo sendo altamente eficazes, as vacinas contra COVID aprovadas até agora oferecem até 95% de imunidade contra o vírus. Não há como saber quem faz parte desses 5% que não reagirão à vacina, e ainda estarão correndo risco de contrair a COVID-19.

Ao usar uma máscara, você limita sua exposição ao vírus, o que ajuda a diminuir chances de ficar doente, mesmo depois de ter tomado a vacina.

Nenhuma vacina é eficaz de maneira instantânea. Leva cerca de duas semanas para o sistema imunológico produzir anticorpos que bloqueiam infecções virais. As vacinas contra a COVID demoram um pouco mais porque algumas precisam de duas doses, com pelo menos duas semanas de intervalo entre elas, para fazer o efeito total.

Dependendo da vacina, pode levar de quatro a seis semanas a partir da dose inicial para atingir os níveis de imunidade e proteção comparáveis aos dos ensaios clínicos. Durante esse período, ainda é possível se infectar com o vírus e ficar doente.

As vacinas contra COVID devem evitar que você fique doente por causa do vírus, mas ainda não se sabe se elas conseguem impedir que você espalhe a doença para outras pessoas. Apesar de as vacinas claramente prevenirem uma doença grave, os pesquisadores precisam de mais tempo para determinar se elas também previnem a transmissão.

Os estudos das vacinas contra COVID-19 analisaram apenas se as pessoas vacinadas desenvolveram sintomas, não se foram infectadas. Assim, não sabemos se vacina previne infecções assintomáticas e se ainda há a possibilidade de uma pessoa vacinada transmitir o vírus, sem saber, para outras que ainda não foram imunizadas.

Como ainda há chance de você ser um portador silencioso mesmo depois de vacinado, é importante continuar protegendo as outras pessoas até que elas também recebam a vacina. 

Sabemos que pessoas com condições médicas crônicas como doenças cardíacas e câncer correm o risco de desenvolver um caso grave de COVID-19. E como esse grupo não participou de ensaios clínicos, não podemos ter certeza de que as vacinas terão o mesmo nível de eficácia apresentado entre a população em geral.

Assim, se você já recebeu todas as doses necessárias da vacina, é recomendado que continue usando máscaras para proteger tanto as pessoas de alto risco quanto aquelas que ainda não foram vacinadas. 

A imunidade de rebanho acontece quando uma porcentagem suficiente da população é exposta ao vírus, e geralmente acontece por meio da vacinação que, por sua vez, limita capacidade do vírus de se espalhar. Vai demorar para distribuir a vacina de maneira ampla no mundo todo e atingir a imunidade de rebanho. 

Os especialistas acreditam que entre 50% e 80% da população deverá ser vacinada para alcançar esse tipo de imunidade.  Ainda não se sabe o número exato. Então, até chegarmos a esse ponto, é importante tomar medidas para proteger uns aos outros, e as máscaras continuarão sendo fundamentais para interromper a transmissão. 

À medida que os países abrem suas fronteiras e as pessoas viajam mais, aumentam as oportunidades de exposição a variantes virais. Não sabemos por quanto tempo as vacinas em desenvolvimento funcionarão, já que o vírus continua evoluindo com o tempo.

Portanto, é importante continuar usando a máscara para evitar novas variantes do COVID que são consideradas mais contagiosas.  

A duração da imunidade oferecida pela vacina ainda é uma incógnita, e deve ser monitorada às medida que as campanhas de vacinação são implementadas. Pode levar meses e até mesmo anos para entender por completo a eficácia das vacinas em longo prazo. E mesmo que você tenha tido uma boa reação à vacina, só o tempo dirá se precisaremos de doses de reforço após o cronograma inicial de vacinação para manter essa imunidade.

Adoradas ou odiadas, as máscaras vêm se tornando uma parte fundamental da reação do mundo à COVID-19 e teremos que usá-las pelo menos por mais um tempo.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, “as máscaras continuam sendo uma medida-chave para impedir a transmissão do vírus e salvar vidas”, pelo menos até a maioria das pessoas no mundo inteiro ser vacinada, e sabermos mais sobre como a vacina funciona em longo prazo.